domingo, maio 06, 2018

Loneliness...

Fotos da cidade. / City photos.

E hoje a inspiração... pertence a quem tão brilhantemente, abordou o tema: solidão...
Uma extraordinária crónica, da autoria de Tais Luso... visitem o seu espaço, em... Blog de Tais Luso.
"(...) A solidão massacra, consome, acaba com a auto-estima, tira todo o encanto da vida. Depois, leva a vida."
Aqui vos deixo, a minha sugestão musical, para hoje... Pedro Abrunhosa - Voámos Em Contramão.
Foto de Ana Freire.

"Não conheço muitas pessoas solitárias, mas conheço o bastante para ver o quanto é difícil para elas enfrentarem as dificuldades pelas quais passam. É possível que as pessoas solitárias necessitem de ajuda dos familiares, dos colegas de trabalho. Mas, por outro lado a situação requer cuidados, nossa intromissão pode não ser bem aceite, por melhor que sejam as nossas intenções. Talvez o melhor seja a ajuda de um psicoterapeuta. O problema do solitário não é falta de diversão. É um estado de espírito, por vezes triste, o qual  não conseguem resolver.

Porém nada tem a ver com querer seus momentos agradáveis, de querer estar a sós. Isso é por opção, inclusive para criar, escrever, pintar, ler...

Os solitários sentem falta de calor humano, de atenção, de aconchego, de solidariedade, de sentir-se incluído na roda. Por outro lado carecem de disposição para procurarem a integração com outras pessoas com as quais sintam afinidade.
Ninguém é solitário porque gosta. Mas é uma situação triste se a pessoa não curte ficar a sós. Geralmente coloca-se a culpa na vítima, ‘está colhendo o que plantou’. Não é por aí o tal julgamento. Seja pelo motivo que for, a solidão assusta, deprime e deve ser pensada para poder, no mínimo, ser apaziguada. E não é um batalhão de amigos e inúmeras viagens e diversões que removerão os problemas e as carências de um ser solitário.
O solitário não está preparado para mudanças bruscas, por algum motivo se isolou, e mesmo sem razão alguma está machucado. Não acredito que alguém, em sã consciência, chegue ao ponto de querer viver assim. São pessoas cuja alma se encontra em agonia, uma mente fragilizada, desanimada. São pessoas que se conformam com a situação e assim prosseguem dentro de um quadro de infelicidade. Não porque querem, mas porque o solitário já desacredita das amizades e de alegria. Desacredita de si e de uma vida afectiva.
Mostra um lado obscuro da vida a sós, a complexidade dos relacionamentos, a falta de afetos, tanto em dar como receber. Não sabe como resolver e isola-se.
Todo o ser humano procura a plenitude de sentimentos. A felicidade é simples, não requer grandes saltos. Felicidade requer afectos. Todo cuidado é pouco para que algo mais grave não se instale, como uma das epidemias do século XXI: Depressão.

Dá o que pensar o que diz o dramaturgo Eugene O'Neill (1888/1953):
A Solidão do homem não é nada senão o medo da vida..."
(TAIS LUSO).

E hoje a inspiração... pertence a quem tão brilhantemente, abordou o tema: solidão... / And today the inspiration... belongs to whom so brilliantly, approached today's theme: loneliness.
Solidão... / Loneliness...

And today the inspiration... belongs to whom so brilliantly, approached today's theme: 
loneliness.
An extraordinary chronicle, written by Tais Luso. Visit her, on... Blog de Tais Luso.
"(...) Loneliness massacres, consumes, ends self-esteem, takes away all the delight of life. Then takes life."
Here it stays, my musical suggestion, for today... Pedro Abrunhosa - Voámos Em Contramão. (See the link above, on this post).
Photo by Ana Freire.

"I do not know many lonely people, but I know enough to see how difficult it is for them to face the difficulties they go through. Lonely people may need help from family members, co-workers. But on the other hand the situation requires care, our meddling might not be well accepted, however good our intentions might be. Maybe the best it is the help of a psychotherapist. The loner's problem it is not a lack of fun. It is a state of mind, sometimes sad, which they can not solve.

But it has nothing to do with wanting their pleasant moments, of wanting to be alone. That is by choice, including to create, to write, to paint,  or read...

The lonely ones feel lack of human warmth, of attention, of coziness, of solidarity, of feeling included. On the other hand, they lack the willingness to seek integration with others with whom they have an affinity.
No one is lonely because he likes it. But it is a sad situation if one does not enjoy being alone. Usually one places the blame on the victim, 'he is harvesting what he has planted'. That is not the judgment. For whatever reason, loneliness scares, depresses, and should be thought, to be at least appeased. And it is not a battalion of friends and countless trips and amusements that will remove the problems and the needs of a solitary being.
The solitary is not prepared for sudden changes, for some reason he isolated, himself, and even without any reason he is injured. I do not believe that anyone, in their right mind, reaches the point of wanting to live like this. They are people whose soul is in agony, a fragile, discouraged mind. They are people who conform to their situation, and thus continue within a path of unhappiness. Not because they want to, but because the loner already discredits in friendships and joy. He disbelieves of himself and of an affective life.
Loneliness shows an obscure side of life, the complexity of relationships, the lack of affection in giving and receiving. They don't not know how to solve that, and that's why they isolate themselves.
Every human being seeks the fullness of feelings. Happiness is simple, does not require great leaps. Happiness requires affection. All care is little so that something more serious does not settle, as one of the epidemics of the 21st century: Depression.

Gives us what to think, what the playwright Eugene O'Neill (1888/1953) says:
Man's loneliness is but his fear of life."
(TAIS LUSO).

105 comentários:

  1. Bom dia. Parabéns pela escolha que fizeste.Um texto que nos faz pensar muito... Gostei de ler. Obrigada.
    Gosto muito dessa musica.

    Hoje:- {Poetizando e Encantando.} Mãos que nos guiam em voos de ternura .

    Bjos
    Votos de Bom Domingo (Feliz dia da Mãe)




    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Larissa, pela força e incentivo de sempre!
      Que bom, saber que apreciou o conteúdo da postagem de hoje...
      Um beijinho grande! Bom domingo... e um Feliz Dia da Mãe!
      Ana

      Eliminar
  2. E como concordo!
    É um estado de alma que agonia ... que corrói e difícil de ultrapassar!
    Um tema bem pertinente e cada vez mais ... atual num mundo onde as relações tentam se estreitar através do virtual ... da indiferença e da falta de tempo!!!
    ...
    Mais uma bela partilha!!!bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um estado de alma... que visita qualquer pessoa... em qualquer fase da sua vida... e se nuns, é algo passageiro... noutros, é um estado de alma... que vem para ficar, muitas vezes, por força das circunstâncias... e vai causando estrago... na auto-estima... e a longo prazo, na sua saúde...
      E como a Graça diz... e um tema bem pertinente... também por ser um problema crescente, na nossa sociedade...
      Fico muito feliz, sabendo que apreciou, o conteúdo do post!
      Beijinho! Votos de um bom domingo... e um Feliz Dia da Mãe... na companhia dos seus, se tal for possível...
      Ana

      Eliminar
  3. Muito linda tua escolha...Taís sempre maravilhosa e nos traz belezas literárias... Linda foto! Feliz dia pra ti por aí! bjs às mamães de Portugal! chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro as crónicas super bem humoradas da Tais... e também destas... quando o assunto, é mais sério... pois com o seu jeito, autêntico e leve... pega os assuntos de caras... e dá-lhes um tratamento sereno, muito lúcido e assertivo... do jeito que eu tanto aprecio... :-)
      Muito obrigada, Chica, pela atenção, e pelo carinho de sempre!
      Um beijinho grande! Feliz domingo, e um Feliz Dia da Mãe, por aí, na companhia dos seus!...
      Tudo de bom!
      Ana

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Imperdíveis, as crónicas da Tais... que também adoro ler!...
      Muito obrigada, Francisco, pela amável visita e comentário!
      Um grande abraço! Votos de um bom domingo... e um beijinho para a Idalisa, desejando-lhe um Feliz Dia da Mãe!...
      Ana

      Eliminar
  5. La sensación de soledad, queda muy bien reflejada en la foto. Muchas de estas personas, que por circunstancias de la vida, han pasado bastante tiempo en soledad, terminan con demencia senil.

    Besos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ventana, pela suas amável visita, e palavras de apreço!
      É verdade! A solidão, é um estado de alma muito corrosivo, que a longo prazo, vai deixando mais marcas, ao nível da saúde, do que aquelas que no imediato, nos apercebemos...
      Beijinho! Votos de um feliz domingo!
      Ana

      Eliminar
  6. Solidão solidão
    que realmente a Tais aborda
    de forma coerente ou até diferente...

    Beijinhos de aqui
    e PARABÉNS ao Porto, carago hé hé hé hé, ganda festa -.``````

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro as crónicas da Tais... no geral super bem humoradas... e depois tem estas... mais sérias... que também tanto aprecio... pela lucidez, e leveza, com que aborda os assuntos... focando todos os pontos fundamentais, de uma forma assertiva, equilibrada, e de leitura super agradável... não tratando os temas, mesmo os mais sérios... de uma forma demasiado pesada, ou fatalista...
      Para mim, já é um ponto de passagem obrigatório, o seu blogue!... :-)

      E bibaaaaaaa o Puertoooooooooo!!! Ai que bem que soube, João, depois de um jejum de 4 anitos, a vitória de ontem... de sofá... e sem ser preciso jogar!... Assim é que é bonito!!!!... Agora vai ser festa, até ao último dia do campeonato!... :-D
      Coitado do Bruninho... vai voltar a falar sozinho... até aposto! É um solitário!... Já nem os jogadores do clube, ouvem o que ele diz... :-))
      Muito obrigada, pela simpatia de sempre, João!...
      Votos de um bom domingo, e beijinhos daqui... de uma dragona, super contente!... :-D
      Ana

      Eliminar
  7. Hoje é um dia em que as palavras são lágrimas que correm pelo nosso rosto, sejam de tristeza pela perda, seja de felicidade por ainda existir essa mulher maravilhosa, nossa MÃE. Lindo texto. Sedutora imagem.
    .
    Mãe... ( Dia da Mãe )
    .
    Dia da Mãe cheio de amor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ricardo, pela sua atenciosa presença, e gentis palavras!
      Este é sempre um dia, que nos toca fundo... e já mesmo, por esse facto, de nem todos o poderem passar, junto das mães, que eventualmente possam já ter perdido... é por esse motivo que não o assinalo por aqui... para não tornar esse dia, ainda mais doloroso para alguns... sobretudo quando a sua perda até possa ser recente...
      No meu caso... em que ainda tenho o privilégio de ir podendo conservar a minha... todos os dias, são dias da Mãe... pois felizmente, ela está por perto...
      Um grande abraço, Ricardo, esperando que tenha passado este dia, o melhor possível!
      Tudo de bom! Votos de uma feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  8. Lindo texto amiga Ana!
    Bjs e um feliz dia das mães.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Carmen, pela sua gentileza de sempre!
      Esperando que tenha passado este dia, também de uma forma muito feliz, na companhia dos seus... deixo um beijinho, e os meus votos de uma feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  9. Querida Ana, fico sensibilizada com teu gesto de carinho! É um prazer participar do teu belo blog com uma das minhas crônicas sobre a solidão, uma maneira de viver totalmente triste, uma vez que somos seres sociáveis. Precisamos uns dos outros. Precisamos de afetos.

    Muito obrigada, minha querida, deixo um beijo, meu carinho e meus agradecimentos a você e aos nossos amigos queridos que por aqui passarem.

    Taís

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E agora, para te dizer que a música é maravilhosa, não conhecia Pedro Abrunhosa e sua aveludada voz. Foto excelente.
      beijinho, Ana.

      Eliminar
    2. Nada a agradecer, Tais!...
      É meu privilégio, poder frequentar este seu espaço, sempre tão pleno de bom gosto, bom humor, e de uma leveza cativante, que convida a uma apetecível leitura, e à discussão de um bom tema... seja ele qual for... mais sério, ou mais ligeiro...
      Pelo que foi com o maior gosto, que o destaquei, por aqui...
      Um beijinho imenso! Votos de uma feliz semana!
      Tudo de bom por aí!...
      Ana

      Eliminar
    3. Quanto à música... um cantor e compositor, muito do meu agrado... que costuma ter letras, de uma profundidade genial... que ganham mais impacto ainda, no seu timbre inconfundível... mais em jeito de declamação, do que de canção...
      Achei que este tema, em concreto... combinaria com o teor do tema abordado, aligeirando-o... e no caso... também com o sofá da minha foto!... :-D
      Um beijinho grande, Tais! E grata eu, pela sua atenciosa e carinhosa presença...
      Ana

      Eliminar
  10. Ana,

    Gostei do texto. Para quem não gosta de ficar sozinho, a falta de pessoas por perto deve ser angustiante, mas para quem gosta de solitude é até um alívio não ter tantas pessoas por perto por muito tempo.

    Escrevi sobre esse assunto há algum tempo, se quiser ver:
    Solitude x Solidão - Simplicidade e Harmonia

    Abraços,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já espreitei o endereço, Simplicidade... e adorei o texto... dois conceitos distintos... que contudo, ainda serão muitas vezes confundidos... já o anotei, aqui no meu caderninho, de futuros destaques! :-D
      Grata pela sua sugestão, Simplicidade!... Ambas as situações, tocam tantas vidas... que este tema, nunca se esgota...
      Um beijinho grande! Votos de uma feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  11. Ana, eu tenho um irmão meio solitário. Agora está a menina a pensar que não se é meio solitário. Ou se é, ou não se é. Talvez tenha razão. Meu irmão, sempre foi uma pessoa que gostou da solidão. Quando menino era capaz de levar horas a brincar sozinho em detrimento de brincar com as irmãs, ou as crianças vizinhas.
    Quem o queria ver feliz era deixa-lo sossegado, ora construindo bairros de casa em areia, ora desmontando qualquer coisa que desse para o fazer, para depois voltar a montar.
    Cresceu empregou-se e escolheu viver sozinho. Nunca lhe conhecemos nenhum relacionamento amoroso, mas convivia connosco, uma vez por semana, quando nos juntávamos ao domingo para passar o dia com os meus pais. Depois deles morrerem só sabíamos dele se lhe telefonássemos. Há três anos foi reformado, vai fazer 69 anos. Continua a viver sozinho e aparentemente continua feliz, coisa que nos causa confusão, pois nenhuma de nós gostaria de viver assim isolada. E porque é que eu digo "meio"? Porque ele não se nega a falar com ninguém ou a fazer um favor a um vizinho, (sabe fazer de tudo desde levantar uma parede a fazer um móvel) e de vez em quando os vizinhos estão a pedir para os desenrascar.
    Um abraço e feliz dia das mães

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E de facto, se o seu irmão, sempre teve uma vida, equilibrada, feliz à sua maneira, independente, e preenchida pelos seus interesses pessoais... isso fará dele... não uma pessoa solitária... mas uma pessoa super bem resolvida, e em paz consigo mesmo... e uma pessoa admirável!...
      Pois haverá tantas, que serão absolutamente incapazes de saber viver consigo mesmas... e quantas pessoas não haverá, menos felizes ou muito pouco felizes até, vivendo na companhia de outras... apenas por não conseguirem praticar o famoso... "antes só, que mal acompanhado"?...
      Muito obrigada, Elvira, pela sua simpática presença, e por ter deixado este testemunho tão pessoal!...
      A solidão, até pode ser benéfica... por ser uma fonte de equilíbrio... de inspiração e de criação, para muita gente... até ligada ao mundo das artes, por exemplo... só será destrutiva... se a mesma, não for um desejo, da própria pessoa, em tê-la na sua vida, por opção própria...
      Como já alguém disse... em regra... é um belo lugar para visitar... mas não para nela permanecer... se não for de todo a nossa vontade...
      Um beijinho! Esperando que tenha passado o Dia da Mãe, de uma forma muito feliz, desejo-lhe uma excelente semana!...
      Ana

      Eliminar
  12. A fotografia está muito bem conseguida e adoro a canção, do Pedro Abrunhosa, que escolheu.

    O tal dinheiro desviado para todo o tipo de fins ilícitos, ou desonestidades, de que falámos, era aqui que devia ser aplicado: no bem-estar social - escolas, cultura, apoios (mas apoios verdadeiros e bem estruturados ) à terceira idade e a mães com crianças com deficiência...enfim, dinheiro público utilizado para o bem das sociedades e não (imoralmente) para os bolsos de alguns.

    Beijinhos e bom domingo:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não poderia concordar mais, Isabel... uma tristeza... esses dinheiros desviados, irem para a mão de quem não faz nada por nós... entre dirigentes desportivos, e políticos corruptos... que simplesmente, têm o seu dinheiro bem protegido nos off-shores... e o esbanjam em inúteis artigos de luxo... a maior parte importados... o que apenas vai alimentar o deficit... prejudicando assim o nosso país, duplamente...
      E como tão bem menciona... haveria tanto, onde o empregar... utilmente!...
      A fotografia... pareceu-me que ilustraria bem, o tema desta crónica da Tais, que já estaria debaixo de olho, faz tempo... mas a foto... só se proporcionou, há poucos dias atrás...
      Pedro Abrunhosa... um autor, genial... que assumindo não ter uma grande voz... contornou o problema brilhantemente... declamando, no seu timbre inconfundível... as maravilhas que escreve... como nesta música... também uma das minhas preferidas, do mesmo...
      Muito obrigada, Isabel, pelo seu simpático e muitíssimo pertinente comentário...
      Um beijinho grande! Feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  13. Boa tarde!
    Já tinha lido este texto. É urgente reflectir sobre o mesmo!Parabéns pela escolha. Amei.

    Esta musica mexe comigo!!

    Beijo... Bom Domingo
    Feliz dia da Mãe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se bem que as palavras iniciais, aqui deixadas, da Tais, sejam bastante recentes... a crónica, já era de Julho do ano passado... mas aguardava por uma foto... que fosse verdadeiramente ao encontro, do espírito do tema... e como a mesma só se proporcionou, há poucos dias atrás... só agora saiu à cena!... :-)
      A música... para mim, uma das minhas favoritas de sempre, de Pedro Abrunhosa... as suas palavras... são absolutamente geniais!... E pronunciadas, neste seu tom grave e inconfundível... tocam-nos fundo...
      Muito obrigada, Cidália, pela sua atenciosa e carinhosa presença!
      Beijinhos! Boa semana!
      Ana

      Eliminar
  14. Bom domingo, querida Ana! FELIZ DIA DAS MÃES!!!

    Bonito post e a crônica é muito boa, gosto da forma de escrever da Tais Luso.
    "Solidão dilacera", diz uma bonita canção... Precisamos muito de Deus e uns dos outros para não nos sentirmos sozinhos. Às vezes, como diz no texto, é importante uma ajuda especializada e sábia.

    Abração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Anete!!! Desejando, que tenha passado este dia de uma forma muito feliz, também aí desse lado, na companhia de todos os seus!...
      As crónicas da Tais... sempre imperdíveis... seja qualquer for o tema... sempre um momento de leitura, super agradável... e imparável desde que iniciamos a leitura das mesmas...
      A fé... nem sempre será fácil tê-la... sobretudo, quando as pessoas não estão bem psicologicamente, Anete, e também disso não se apercebem... e se sentem bastante fragilizadas, fisicamente ou não... como no caso das pessoas de bastante idade, por exemplo... tantas e tantas vivendo sozinhas, no nosso país... com a restante família longe... em muitos casos emigrada... e não podendo recorrer a ajuda especializada... pois muitos reformados, terão pensões, que mal lhes darão para ir ao seu médico habitual, ou comprar a medicação estritamente necessária... pelo que ajuda médica complementar... é assunto que para eles, lhes estará completamente vedado...
      Muitas populações do interior, do nosso país... estarão assim... envelhecidas... largadas à sua sorte... com poucos recursos financeiros... e isoladas... fisicamente e geograficamente... tendo como única possibilidade... ficar onde estão... e apenas ver o tempo passar...
      Grata, pela gentileza e carinho de sempre, Anete!
      Beijinhos! Feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  15. Solidão, silêncio e saudades não me fazem bem.
    Fujo delas.
    " A solidão do homem não é nada senão o medo da vida" tem muito de verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E devemos mesmo evitar, aquilo que sentimos, que nos faz mal, Liliane... para mais se temos possibilidades de o fazer...
      Infelizmente... muitas pessoas de mais idade, do interior do nosso país, por exemplo... não têm como o evitar...
      Grata pela sua simpatia de sempre, Liliane!
      Beijinho! Continuação de uma boa semana!
      Ana

      Eliminar
  16. As crónicas da Taís são sempre excelente e sobre varidos temas, esta da solidão
    das pessoas na velhice é um tema que me comoveu bastante.
    Gostei da imagem que colocou e também da música do Pedro Abrunhosa.
    Beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro as crónicas da Tais... esta também me tocou particularmente, por ser um tema, que facilmente vemos que atinge, tantas pessoas do nosso país... pois constantemente se ouve falar do envelhecimento da nossa população... e pouco se faz ou se vê fazer, para apoiar estas pessoas, na fase mais fragilizada da sua vida...
      Que bom, constatar que o conteúdo do post, foi do seu agrado!...
      Beijinho! Continuação de uma óptima semana!
      Ana

      Eliminar
  17. Olá, Ana!
    Espero que a vida me permita, até ao fim, que eu saiba conviver perfeitamente , como convivo, com o facto de saber e gostar de estar só sem sentir solidão.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando convivemos bem, com os nossos períodos mais sós... sem nos abandonarmos a nós mesmos... a solidão, não nos pesa... até pode ser um factor bem positivo... para nos reorganizarmos por dentro... dar seguimento a projectos muito nossos... e também enriquecermo-nos com tantas actividades "solitárias"... que ninguém poderá fazer por nós... como ler um bom livro... não haverá solidão mais enriquecedora do que esta, por exemplo... :-)
      Beijinho! Continuação de uma boa semana...
      Ana

      Eliminar
  18. Excelente momento. O p&b foi de encontro à mensagem a passar. O senhor sentado num sofá, que me parece ser numa grande superfície, provavelmente com dezenas de pessoas a passarem à volta, mas numa atitude de isolamento, com a cabeça entre as mãos - por vezes podemos ter tantas pessoas à nossa volta e estarmos tão sós.
    Saudações!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma leitura perfeita, Roadrunner! De facto... este sofá azul, integrado num cenário colorido, de uma grande superfície comercial... convidava mais, a que foto fizesse parte de um post, sobre os benefícios de uma boa soneca após o almoço, do que propriamente sobre o tema solidão... pelo que tive transformar o "mood" da foto, convertendo-a para preto e branco... e assim, me aproximar de outro contexto, em que a queria usar... no caso... associá-la a este belíssimo trabalho da Tais...
      Grata pela amável visita, e palavras de apreço!
      Saudações amistosas
      Ana

      Eliminar
  19. Silêncio e solidão, ambos precisam que lhes demos a mão... :-)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, HD! A nossa atitude, é que determina o peso, que o silêncio e a solidão, possam vir a ter nas nossas vidas...
      Beijinhos! Grata pela tua simpática presença!
      Ana

      Eliminar
  20. Respostas
    1. Tenho a certeza, que vais adorar este espaço da Tais... onde os bons temas, são uma constante, em cada uma das suas crónicas...
      Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
      Ana

      Eliminar
  21. Um texto maravilhoso que aborda um assunto presente em nosso contexto atual e com muita força. A solidão gera a depressão e por aí vai ceifando vidas. Parabéns a você pelo bom gosto da escolha e a Taís Luso uma escritora brilhante!
    Beijos e uma semana feliz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Lucia, pela sua gentil visita e palavras, de apreço!
      Um tema cada vez mais presente, na sociedade actual... que curiosamente... as novas tecnologias, também ajudam a promover... e às vezes, a esconder... pois a natural e normal socialização... perde-se... com o incremento da crescente comunicação... através de gadgets... uma outra forma de solidão... nos tempos actuais... que também dá que pensar...
      Um beijinho grande! Votos de continuação de uma óptima semana!
      Ana

      Eliminar
  22. Hi Ana.

    A beautiful picture of a man who has lived for many years, you would want to talk to him to listen to what he has to say.

    Groettie from Patricia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. And these elderly people have so much wisdom of life... and no one wastes time, listening to them...
      It is sad indeed! Thank you, so much, dear Pat, for your kind words and visit!
      A big kiss! Enjoy your day!
      Ana

      Eliminar
  23. Leio com imenso gosto as crónicas da Tais. A solidão é cada vez mais um flagelo da sociedade, onde as pessoas se vão tornando cada vez mais indiferentes e sem solidariedade com os outros. Dá que pensar...
    Uma boa semana, Ana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto... a solidão é mesmo, algo em franco crescimento nas sociedades actuais... as nossas opções, e muitas vezes, o nosso estilo de vida trazem-na para dentro das nossas vidas, sem que de tal, às vezes, nos consciencializemos disso...
      Um fenómeno crescente... que dá que pensar... e transversal nas sociedades de hoje...
      Muitíssimo obrigada, Graça, pela sua gentil presença, e considerações...
      Beijinho! Continuação de uma excelente semana!...
      Ana

      Eliminar
  24. Dá que pensar, sim!
    Gostei muito da escolha musical.
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um fenómeno crescente nos nossos dias... a que se tem mesmo de prestar atenção... até porque é transversal, nas sociedades de hoje, a todos os seus membros...
      Muito obrigada, Aninhas, pela tua simpatia de sempre!
      Um beijinho grande!
      Ana

      Eliminar
  25. Hello dear Ana! Great post!
    I’m touched from your picture with the old man feeling lonely.It happens every day to many old people left behind from there relatives or children.
    Great capture and photography by you! Love your musical choice!A very beautiful song and video!
    Thank you for your lovely comments on my posts!I really appreciate your visits and your friendship!
    Wishing you a lovely day and a happy and joyful week!
    Dimi...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Thank you so much, dear DIMI, for your kind words!
      I'm so glad that you had liked the post!
      Loneliness is indeed a growing phenomenon in today's societies... and it no longer chooses ages...
      A big kiss! Enjoy your week!
      Ana

      Eliminar
  26. A preto e branco, a so-
    lidão pode ser só
    um princípio de amargor,
    uma distração, um lapso,
    uma fome, anemia d'amor.
    Depois fica-se sentado na dor
    à espera da morte. Só.

    Li, vi, senti o trabalho, muito bem desenhado em três actos, enquanto almoçava. Havia/há um médico amigo que me dizia, há uns bons anos, não o tenho visto, é homem de garra mas, o ladrão do tempo não perdoa. Dizia, ele, a propósito de solidão: "quando os velhos deixam de ir espreitar as pernas das garotas à rua, ao banco de jardim, está tudo perdido. Passados 6 meses estão de mãos postas com uma pedra em cima".
    Mas, deixemo-nos de coisas tristes. Lá fora o Sol fecunda todas as coisas da natureza, da qual fazemos parte de pleno direito. Gozemos a vida enquanto podemos, sós e acompanhados segundo as circunstâncias de cada um.

    Bj, Ana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto a solidão... é um bom sítio, para a visitarmos, ocasionalmente... mas não para permanecermos nela... por muito tempo... se tal não for da nossa inteira vontade, claro... pois os seus efeitos, são sempre corrosivos!...
      Haja pois vontade, de se ir espreitando, as pernas das garotas... o que é sinal, de que ainda se vai estando vivo... tanto mais que hoje em dia, a tarefa até fica facilitada, com a moda das calçadas rasgadas... :-D
      O seu amigo médico... é que sabe, o que dá saúde!... :-)) Sair de casa... e mexermo-nos, enquanto podemos... nem que seja apenas, os olhinhos... ;-P
      E no fundo, é isso mesmo, Agostinho! Tirar o melhor partido da vida, nas circunstâncias de que dispomos...
      Beijinhos! Grata pela amável visita, bem como, pelas pertinentes e inspiradas considerações, que aqui este post, lhe suscitou...
      Continuação de uma óptima semana!...
      Ana

      Eliminar
  27. Boa tarde, a foto urbana é sempre especial, consegue transmitir mais realidade e beleza, é o caso da foto partilhada, o texto é perfeito, a frase de Taís Luso "Solidão do homem não é nada senão o medo da vida" quase que é perfeita, muita da solidão também é provocada pelo poder económico e politico.
    Feliz semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão, António... e o medo da vida... provem mesmo de todos os condicionalismos, provocados pelas limitações económicas e financeiras... engendradas pelos políticos... pois o que nuns falta... noutros sobra... e muito... em contas off-shore... por exemplo... conforme vamos acompanhando nas notícias, por aqui, e por ali... quase diariamente...
      Um texto formidável da Tais... que aguardava a foto, que me parecia mais ideal, para o mesmo... já há algum tempo...
      Muito obrigada, António, pela amabilidade de sempre!
      Um grande abraço! Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  28. Great post, Ana!
    Have a nice day!
    kiss:))

    xxBasia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Thank you so much, dear Basia!
      I'm so glad, that you had liked it!
      A big kiss! Enjoy your weekend ahead!...
      Ana

      Eliminar
  29. Respostas
    1. Muito obrigada, Inês, pela tua simpática presença e palavras!...
      Um tema tocante... e cada vez mais presente na nossa sociedade actual... e já transversal a todas as faixas etárias, e sociais...
      Beijinho! Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  30. Belo post,Anna!Obrigada por seus gentis comentários em meu pequeno blog.Desejo-lhe uma semana abençoada!Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata eu, Maristella, pela sua gentil presença, e palavras de apreço!
      Beijinho! Feliz fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  31. A veces me siento sola pero creo que es normal para todos en algun momento y más si tienes que lidiar con ansiedad.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Sakuranko... em situações de ansiedade, de pressão... estamos também muitas vezes confrontados, com a solidão das nossas decisões, em momentos assim... o problema... será quando a solidão nos acompanha, em todos as demais circunstâncias, da nossa vida... ainda que contra a nossa vontade... aí sim... já constituirá um problema sério...
      Muito obrigada, pela tua simpática presença e palavras!
      Beijinho! Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  32. Olá, Ana.
    A solidão, tema da ótima crônica da Taís, é sentida por homens e mulheres que passaram dos 60 anos de idade, em condições especiais como, por exemplo, o estado de viuvez, a separação do casal mesmo ainda na meia idade, mas que não encontraram novos companheiros, mesmo sob o regime de união estável. Daí a origem da solidão, dentre outras causas como também os solteiros, de qualquer idade. É uma lástima que assim seja, mas é a dura realidade.
    Parabéns a você duas, Taís e Ana.
    Desejo a você, Ana, um excelente semana.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto, a solidão, é um complexo fenómeno social... que se reveste de muitos cambiantes... e depois de uma certa idade... é de facto bem mais sentida pelos idosos... que se ressentem mais, das suas limitações físicas e psicológicas... pela ausência de estruturas familiares... perda dos companheiros de uma vida, em quaisquer circunstâncias... restante família longe, por motivos laborais ou escolares... seria interessante averiguar até, se a mesma será mais sentida por homens, ou mulheres... pois acaba por ser encarada de uma forma diferente... creio eu...
      No encanto... é um fenómeno, que começa a surgir também, nas camadas mais jovens... que disfarçam a falta de capacidade/possibilidade de socializar... com redes sociais, por exemplo... que como sabemos, têm uma consistência altamente volátil... juntando-se e perdendo-se "amigos", à velocidade de um piscar de olhos...
      Um tema riquíssimo, este, pleno de imensas variantes... e que adorei vê-lo muito bem analisado pela Tais... já estaria debaixo de olho, esta crónica, faz tempo... aguardando por uma foto, que melhor retratasse o tema... e finalmente a oportunidade, surgiu há alguns dias atrás...
      Muito obrigada, Pedro, pelas suas amáveis palavras, e considerações, sobre o post...
      Um grande abraço! Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  33. É assustador pensar na solidão.... e há várias formas de solidão... Muitas pessoas estão acompanhadas mas sentem uma enorme solidão....
    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Isa! Este é um fenómeno social, muito complexo, que se reveste de tantas variantes... e surge nas mais variadas circunstâncias e faixas etárias...
      Muito obrigada, pela tua presença e palavras!
      Beijinho! Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  34. Uma boa publicação para reflectir, embalada por bela música.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto, este é mesmo um daqueles temas, que como se costuma dizer... tinha pano para mangas... tal a variedade de aspectos e circunstâncias, que o fenómeno da solidão, pode abranger...
      Muito obrigada, Fá, pela simpatia de sempre!
      Beijinho! Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  35. Quando vejo fotos destas, recordo-me sempre da letra de Mafalda Veiga e que tanto gosto.

    "o olhar triste e cansado procurando alguém
    e a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
    sabes eu acho que todos fogem de ti pra não ver
    a imagem da solidão que irão viver
    quando forem como tu
    um velho sentado num jardim"


    ....também nós um dia teremos este olhar triste e cansado, que procurará alguém...

    Um beijinho Ana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me lembrei dessa música, Júlia... ainda não a apresentei por aqui, mas já a tenho apontada faz tempo, para um futuro post...
      No entanto como associei esta imagem, ao tema solidão... preferi arranjar um tema musical... que abrangesse mais faixas etárias... pois cada vez mais, este é um fenómeno transversal, a toda a sociedade... atingindo pessoas de todos os meios e idades...
      Agradecidíssima pela sua gentil presença, e por me recordar essa música fantástica, da Mafalda Veiga, que qualquer dia deixarei por aqui, com imagem e tema, focados essencialmente, nos problemas da terceira idade...
      Um beijinho grande! Votos de um óptimo fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  36. A solidão é talvez, um dos maiores flagelos da sociedade actual, que afecta muitos idosos.
    Um texto para reflectir!

    A foto é de uma tristeza profunda. O P&B acentuou-lhe a "beleza".

    Adorei o fundo musical.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Elisa! Afecta muitos idosos... e contudo está a instalar-se a uma velocidade arrepiante, também nas camadas mais jovens... solidão, depressão, bullying... uma combinação terrível, nos mais jovens... que muitas vezes não têm estrutura emocional para lidar com tais problemas...
      No caso, esta foi uma imagem que foi um pouco trabalhada... de facto, aqui neste caso, a conversão para preto e branco, veio acentuar o efeito solidão, que desejava transmitir... pois a mesma imagem a cores, tinha um mood diferente... talvez mais propício a um post sobre os benefícios... de um soninho descansado, após o almoço... :-) e num lugar, com óptimo e movimentado ambiente... para distrair o espírito... logo ao acordar... :-D
      A música... uma das minhas preferidas de sempre, deste cantor e compositor... de voz grave... e frases profundas...
      Muito obrigada, Elisa, pela sua simpatia, e palavras de incentivo e de apreço!
      Beijinhos! Desejando-lhe um óptimo fim de semana!...
      Ana

      Eliminar
  37. é verdade. tudo, excelentemente, a condizer. grata. beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Céu!!!
      Adoro tê-la por aqui... mas as suas mãos precisam de repouso!...
      Nada de exageros!... Por estes dias, serei eu que continuarei a visitá-la... não carecendo, de me responder aqui... quando estiver melhor, haverá certamente muitas oportunidades, para tal!...
      Um beijinho grande! Esperando que esteja tudo a evoluir bem!... E que a fisioterapia, esteja a ser muito bem orientada... para não ter um efeito contraproducente... e eventualmente, atrasar a sua recuperação...
      Tudo a correr pelo melhor! Amanhã, por lá passarei no seu cantinho, com mais tempo...
      Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  38. Essa fotografia não podia ter melhor descrição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada, pelas tuas motivantes palavras, Diana!
      As palavras da Tais... foram mesmo a legenda perfeita... ela abordou este tema, de uma forma magistral... como sempre o faz, em todas as suas crónicas...
      Um espaço que deverias conhecer, Diana... pois sei o quanto aprecias a boa escrita...
      Beijinhos! Feliz fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  39. Boa noite Ana,
    Adoro os textos da Tais Luso e este é mais um deles. Aborda o tema Solidão de uma forma muito lúcida e atual.
    A fotografia está magnifica e transmite de forma sublime o ser solitário.
    Beijinhos e continuação de boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este espaço da Tais, já é para mim, um ponto de passagem... e paragem obrigatório... a gente já vai lendo uma crónica... ansiando pela próxima!... :-D
      A imagem... foi a imagem possível, que achei estar à altura, deste grande trabalho, da Tais... que já estava em modo espera, há um tempão... aguardando por uma foto, mais do meu agrado...
      Muito obrigada, Ailime, pela atenção, simpatia e incentivo de sempre!
      Beijinhos! Bom fim de semana!
      Ana

      Eliminar
  40. Gostei de ouvir o Pedro Abrunhosa.
    Deveria dedicar algum tempo a musica portuguesa.
    A solidao deve ser um peso insuportavel. E ha tantas pessoas que a sentem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro Abrunhosa, tem letras magníficas, Catarina!
      Vale a pena, descobrir um pouco mais das suas músicas!
      A solidão... um problema da nossa sociedade actual... e em crescente expansão...
      Muito obrigada, pela simpatia de sempre, Catarina!
      Beijinhos! Bom final de domingo e uma excelente semana!
      Ana

      Eliminar
  41. Duplamente gratificado, Ana.

    a amiga Tais é uma talentosa escritora e cronista de aguda inteligência e sensibilidade . fico muito feliz por vê-la representada neste seu espaço de inteligência. sensibilidade e bom gosto.

    caso para dizer que os "bons espíritos encontram-se sempre"...

    abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Manuel, pelas suas generosas e amáveis palavras!
      Para mim, são sempre imperdíveis as crónicas da Tais... e esta crónica, já tardava em aparecer por aqui... mas ainda não tinha encontrado a foto, que achava mais indicada... até surgir a hipótese de registar esta, na outra semana...
      Grata, Manuel, pela atenção de sempre!
      Bom final de domingo! Um grande abraço!
      Ana

      Eliminar
  42. Querida Ana,

    Fico encantada com este seu perfeccionismo que expressa
    talento, bom gosto, arte e generosidade.
    Percebi que você registrou a frase de uma crônica mais
    recente da querida Taís Luso, sobre a solidão. E esta
    excelente crônica sobre a solidão mais anterior. A foto
    é quase tocar nesta solidão exposta, enraizada por dentro...
    E a foto em preto e branco a simbolizar a solidão quase
    depressiva, esta sem cor-vida!...
    Adorei o vídeo-música!!
    A escolha da literatura da Taís Luso, esta talentosa e
    competente escritora, que com inteligência, sensibilidade
    e estilo literário próprio, nos oferece um espaço (seu blog)
    único, irrecusável e surpreendente na qualidade literária:
    conteúdo, profundidade e com o seu dom de percorrer aos
    temas sérios ou de humor, sempre nos tocando no ato
    da reflexão.
    Adorei este post especial, as duas para mim são muito
    queridas.
    Beijinhos.

    Ps: Ana, já sabido a complicação do meu tempo, por isso dei
    um pulo aqui para comentar e depois com mais tempo,
    voltarei para comentar o post anterior que ficou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada, Suzete, pelas suas atenciosas e carinhosas palavras... que tanta nos motivam, e nos dão força para continuar...
      A crónica mais antiga da Tais, já estava debaixo de olho, para surgir por aqui, faz um tempão... mas as fotos de que dispunha, não me agradavam ainda por completo... até que a oportunidade desta foto, surgiu na outra semana... e a crónica mais recente da Tais, também sobre o mesmo tema, surgiu no timing perfeito...
      Como já tenho dito, nem se preocupe, com os comentários dos posts anteriores, querida Suzete... o meu tempo, também tem andado mais condicionado... pelo que também eu, tenho feito as minhas visitas com alguma intermitência...
      Um beijinho grande! Bom final de domingo, e uma excelente semana!
      Ana

      Eliminar
  43. Ana,

    volto para lhe agradecer as palavras generosas que os meus textos lhe merecem e a paciência de ler e comentar até mesmo os post mais antigos

    ... e dizer-lhe que poderá sempre fazer o uso que entender por bem dos textos publico no blog - o privilégio será meu. sempre.

    beijo, grato

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada, Manuel, pela sua extrema amabilidade e atenção!...
      Um verdadeiro prazer, poder apreciar os seus talentosos trabalhos, e poder destacar alguns, por aqui...
      Beijinho! Desejando-lhe a continuação de um excelente final de domingo e uma óptima semana...
      Ana

      Eliminar
  44. que bonitas escolhas literárias
    http://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E hoje, totalmente por conta, do imenso talento da Tais... cujo espaço, tenho a certeza, que irás apreciar, Magda!...
      Beijinhos! Bom final de domingo e uma óptima semana!
      Ana

      Eliminar
  45. Ah! Taís é uma "fera solta", que nos alimenta, que nos provoca, que nos seduz com as suas crônicas mais que intuídas, desafiadoras. Já sou viciado nos seus textos. São sempre uma casa com varanda, nos aconchegando, com direito a brisa fresca. E a música é partilha e complementos perfeitos.

    Beijinhos, Ana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. José Carlos, fez uma descrição perfeita, do jeito, com que a Tais nos seduz... com a sua sensibilidade e assertividade... e desafiando-nos a reflectir, com autenticidade, sobre qualquer assunto...
      As suas crónicas, são mesmo um espaço super agradável... com varanda... para um montão de vistas deliciosas e arejadas, de se apreciar... e por isso... são mesmo um espaço perfeito!...
      A música... fala-nos sobre resiliência... e ela é tão precisa, para todos quantos sofrem de solidão, e convivem com ela!...
      Muitíssimo obrigada, José Carlos, pela sua amável presença e preciosas considerações que muito apreciei...
      Beijinho! Votos de uma feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  46. Obrigada a todos de coração! E a você, Ana, meu carinho e minha admiração por você ser uma pessoa tão generosa e carinhosa com seus amigos.
    Beijo, querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada a agradecer, Tais!...
      Um prazer imenso, ter podido destacar uma das suas muitas crónicas, que sempre admiro e tanto aprecio...
      Eu é que lamento, ela ter demorado tanto a chegar aqui... mas a foto ideal para mim... ainda não tinha surgido!...
      Queria uma imagem marcante... mas com um cenário luminoso em volta... mostrando, que para tudo nesta vida... basta olhar com outros olhos, em nosso redor... para tudo ter uma possível solução...
      Seria muito fácil, pôr aqui... uma imagem... apenas deprimente... e com ela... não dar esperança nenhuma... a quem por si só, já sofre de solidão... sem lhe aliviar a carga emocional...
      Um beijinho grande! Feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  47. Subscrevo o texto acerca da solidão! Está tudo dito aí, tal como penso e sei que assim é! Sempre defendi a acção da psicoterapia para os grandes males da sociedade, inclusive a solidão! Antigamente eram os mais velhos que a sentiam, os mais jovens abandonavam-nos à sua sorte, como ainda hoje. Por isso são descobertos mortos em casa, Deus sabe em que circunstâncias, a esse respeito, nada acrescentam, enfim. Mas a solidão, está descendo na faixa etária, e há muita criança só entregue a si mesma, jovens e mesmo adultos.... As famílias resistem a dar a mão à palmatória, elas também afectadas psicologicamente. Vivemos num mundo, de redes sociais, que aproximam apenas virtualmente.Essas redes servem apenas para colmatar esse mesmo estado de alma e vazios. Outras vezes, para se degladiarem, agredirem, enxovalharem-se umas às outras ! E assim vamos, tristes, sós, revoltados, doentes e cada vez mais mentirosos! A mentira caiu em moda! a hipocrisia! Enfim!!! Um planeta em terrível ebulição!

    Beijinhos Ana e Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, PN! Um retrato perfeito da actualidade, nas suas palavras, que subscrevo inteiramente... tal como o facto deste fenómeno estar em crescente expansão... afectando todos de uma forma geral, devido à nossa forma de vida, em sociedade... na qual vivemos tão próximos de outros... e por vezes, cada vez mais sós... e tantas e tantas vezes, sem a capacidade de sabermos conviver connosco... pois tudo à nossa volta, vai acontecendo a uma velocidade cada vez mais estonteante, sem termos a efectiva capacidade de interiorizar, apreciar, ou nos adaptarmos, ao que quer que seja... neste nosso planeta em ebulição constante... como muito bem afirma, PN!
      Beijinhos! Grata pela sua amável presença e preciosas considerações, que enriqueceram o nosso post! Feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  48. Uma excelente escolha, adoro ler as crónicas da amiga Tais.
    A solidão acorrenta o corpo e alma.
    Linda foto.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Maria, pela simpatia, carinho e incentivo de sempre!
      A solidão, prende-nos, de facto... e torna-se maior, há medida que fazemos o jogo dela, e nos isolamos...
      Um beijinho grande! Feliz semana!
      Ana

      Eliminar
  49. Chorar calado, pensar quieto e desabafar com as paredes, rotina diária de quem é forte

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E cada vez... parece haver mais pessoas a seguir tais rotinas... pela força das circunstâncias... formas de vida escolhidas... condições económicas, familiares, geográficas...
      O verdadeiro problema... é que uns são fortes... outros não!... Acabando, muitas vezes a solidão, por apresentar uma factura a nível físico e psicológico, demasiado alta...
      Beijinhos, daqui para aí! Boa semana!
      Ana

      Eliminar
  50. Por diversos motivos, esta postagem é-me algo cara, mas tão pouco me apetece desenvolver raciocínio próprio ao respeito, no caso limitando-me a subscrever em grande medida as palavras de Tais Luso ou inclusive e para não ir mais longe as próprias palavras da Ana no comentário resposta a Jorge Gonçalves imediatamente acima.
    A foto é magnifica e a sugestão musical agrada-me particularmente...
    Beijos e muitas ou muito boas amigáveis companhias para a Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um tema que nos toca a todos, Victor... todos temos, tivemos ou teremos os nossos momentos de solidão... desde que lhe conheçamos os seus efeitos, benéficos ou destrutivos... mais preparados estaremos, para lidar com a mesma...
      Bom tê-lo de volta, Victor! Grata pela amável visita, e comentário!
      Beijinho! Votos de uma excelente semana!
      Ana

      Eliminar
  51. As más solidões são terríveis, porque nos encerram na maior prisão que existe: nós próprios.
    Mas para mim o pior de tudo é envelhecer sem dignidade...isso faz-me mesmo muita confusão e causa-me muito medo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Decisões sobre os nossos finais de vida... algo que estará a ser discutido, na nossa Assembleia, por estes dias... e no que todos deveríamos ter uma palavra a dizer... mas dificilmente, tal tema, gerará consensos...
      Se envelhecer sem dignidade, for o meu último estádio... que já o seja, debaixo de uma demência qualquer... para eu não dar por nada... e não ter a menor noção...
      Muito obrigada, Lina, pela sua presença, e considerações, a propósito de um tema... que nos toca a todos... todos temos os nossos momentos de solidão... mais leves, ou pesados...
      Beijinho! Continuação de uma boa semana!
      Ana

      Eliminar
  52. Gostei muito do texto e gostei da fotografia apesar de me apertar o coracao...Beijinhos Anita :)

    ResponderEliminar