quarta-feira, junho 04, 2014

When everything comes from... nothing...

Fotos de flores. / Flower photos.

São sempre os detalhes que me chamam a atenção...
Aqueles pequenos nadas... que mudam tudo... e que tornam o óbvio, em algo único.
Há quem busque tudo...
Eu sempre procuro... por nada...
Foto de Ana Freire.
"Em arte tudo está naquele nada." (LEV TOLSTOI, 1828 - 1910)
Existem pequenos nadas, que mudam tudo, e que tornam o óbvio, em algo único. Há quem busque tudo. Eu sempre procuro... por nada. / There are small nothings, that change everything, and which turn the obvious into something unique. There are those who seek all. I always look for... nothing.
Pequenos nadas... / Small nothings...
"In art everything is on that nothing." (LEON TOLSTOY, 1828 - 1910) 
Are always the details which call my attention...
Those small nothings, that change everything... and which turn the obvious... into something unique.
There are those who seek all...
I always look for... nothing.
Photo by Ana Freire.

14 comentários:

  1. Estou contigo nessa busca de simplicidade e dos pequenos detalhes que fazem a diferença. Grande composição que tão bem aqui conseguiste. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tinha dado para perceber, Zekarlos...
      Obrigada pelo apoio, e incentivo.
      Bjs
      Ana

      Eliminar
  2. Esta fotografia de nada não tem nada.
    Esta fotografia tem é muito.
    - Tem muita técnica, já que andar empoleirada em cima do que parece ser um muro, não é fácil.
    - Tem muita sabedoria, já que enquadrar desta forma, para dar destaque à flor e à diagonal, foi bem pensado.
    - Tem muita beleza, já que a fotografia, e é bem patente, está bonita.
    - Tem muita capacidade de deixar-me aqui com uma dor de cotovelo.

    Moral da história, é uma fotografia com pouca parra mas muita uva.
    ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente, o muro era da altura do cotovelo... para conseguir uma melhor perspectiva... sem me espalhar...
      Lá calhou, menos mal, esta foto.
      Com direito a teias de aranha, e tudo... que, no campo, os bichinhos não perdoam... mas como já alguém disse há uns tempos... até dão beleza à coisa...
      Obrigada, Remus!
      Mas é uma foto bem simples, que tinha pensado obter, para associar à frase, em questão.
      Bjs
      Ana

      Eliminar
  3. Aquela diagonal foi quase tirada a esquadro, compasso e régua.
    Aqui está uma fotografia que me passaria ao lado, é o problema dos detalhes.
    Poderia olhar, olhar, a Ana até berrar-me ao ouvido, mas os detalhes passavam-me ao lado.
    Até ao momento em que fosse violentamente atingido, por uma vassoura ou outro objecto qualquer, arremessado pela Ana e aí, acordaria para os detalhes.
    Mas se calhar encontraria outros detalhes que ninguém viu e aí seria eu a berrar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu acho que o Questiuncas, não precisa de levar com uma vassourada, para ver detalhes... até porque eu nunca encontrei melhor especialista, em portas e afins, com detalhes absolutamente únicos, que não lembraria a mais ninguém, encontrá-los...
      Mas se houver muita insistência... sempre se pode fazer um esforço, e arranjar um tijolito... ou um piano de cauda... para ver estrelas e afins... ao detalhe.
      Brincadeirinha... ;-P
      Obrigada, pela visita, Questiuncas!
      Um abraço
      Ana

      Eliminar
  4. muito boa esta foto. o enquadramento, a diagonal e o contraste das cores.

    Parabéns por este blog! Vou começar a seguir de mais perto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-Vindo, Paulo!
      Obrigada pela visita, pelas palavras, e pela atenção.
      Teremos muito gosto em que nos visite, sempre que queira, e sem qualquer dúvida, continuaremos, igualmente, a acompanhar o seu blog, que achamos conter trabalhos de alta qualidade, de uma zona do país, de que gosto bastante, mas que até conheço mal, e que explora bastante, em fotografia, a opção da utilização do P/B, que não sendo habitual aqui no nosso blog, gosto imenso de apreciar.
      Um abraço
      Ana

      Eliminar
  5. Que foto delicada, inesperada combinacao de camada de cores.
    Adoro a sua terra Ana. ;-)
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Lúcia!
      Bem-Vinda, ao blog! Reparei que se tornou seguidora, brevemente faremos o mesmo, pelo que, desde já, aqui fica o agradecimento.
      Por acaso, esta até é mesmo, uma das fotos mais simples, que estarão por aqui, mas fico feliz que tenha gostado.
      Esperamos contar com a sua visita, mais vezes, e certamente vou gostar de descobrir melhor o seu blog, no qual já descobri alguns inesperados aspectos em comum.
      Coincidências... ou, como a Lúcia diz... nada é por acaso. ;-)
      Obrigada. Beijos.
      Ana

      Eliminar
  6. Foi acertada o destaque da diagonal e o que falar do foco nas flores que está simplesmente sensacional.
    Gostei muito do contexto e textura da imagem.
    Gostei de tudo.
    Bjo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu a pensar, que era mesmo uma florzinha, bem simples, e que ninguém ia dar por ela...
      Fico feliz, que você tenha gostado, Jéff!
      Obrigada, pela opinião, e simpatia de sempre...
      Bjs
      Ana

      Eliminar
  7. Uma pequena folha em frente do olhar, faz desaparecer uma floresta...

    Simples e bonito(como eu gosto).

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente de acordo, Armindo!
      São sempre os pequenos nadas, que às vezes, são mesmo a medida de grandeza de todas as coisas...
      Lindíssima definição de simplicidade, Armindo!
      E com poucas palavras... se diz muito... tal como eu gosto...
      Obrigada! Um abraço.
      Ana

      Eliminar